sábado, 25 de junho de 2011

Deus e religião

Este é um assunto que sempre cria discussões acaloradas, pois a maior parte dos interlocutores quer que o outro creia que DEUS e religião são coisas unas.
Querem sempre vangloriar-se de que a religião do outro sempre está errada e a sua é sempre correta, às vezes até mesmo fazendo interpretações do livro sagrado para justificar a sua afirmação.
Pobres coitados !!!
Até quando vão manter o próprio orgulho, vaidade, a ânsia de poder na frente da verdade?
Qual é a verdade?
Para todos os que se dizem religiosos, que creem na existência do Criador, e se mantêm nas mais diversas denominações religiosas, não há religião que seja a única, a verdadeira, que seja aquela que o Criador deixou para todos seguirem, pois as religiões todas, sem exceção, foram criadas pelo ser humano.
Digam se há algo infalível, com a profundidade, amplitude, seriedade que o Pai Eterno é, e que o ser humano criou?
Simplesmente não existe!
As religiões humanas são válidas para orientar, encaminhar, esclarecer, mas o devoto, o crente (em Deus), deve saber onde está a sua fé.
Deus não deixou nenhuma religião a ser seguida.
Deixou a palavra de ordem básica e que parece que ninguém entende: Mude a sua natureza.
Surpreso? Onde está escrito isso?
Nas entrelinhas dos diversos livros sagrados.
O Pai Eterno quer que mudemos nossa natureza.
Do humano para o sagrado, do descrente para o crente, do mal para o bem, do orgulhoso para o humilde, do avarento para o caridoso...
No caso dos cristãos, vocês acham que a frase AMAR O TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO é o quê?
Para você amar alguém, primeiro você deve se amar, pois ninguém dá algo que não possui.
Isso exige mudanças.
Você deve conseguir ver no próximo aquilo que você gostaria que o próximo visse em você, e para conseguir isso, haja reflexão e boa vontade. Tem que ter fé, tem que acreditar.
Você quer respeito? Primeiro respeite o próximo!
Você quer atenção? Primeiro dê atenção ao próximo!
De nada adianta entrar na missa, culto, sessão ou seja lá qual for a denominação da reunião de fiéis da sua religião, e dar atenção, ser bondoso, ser generoso às pessoas ali reunidas, se quando sai dali, não consegue fazer o mesmo com as pessoas que não são da mesmo denominação.
A fé sem obras é morta!!!!
Não acredita?
Darei exemplos mundanos para relacionar.
Você está doente, logo, você ACREDITA que se for ao médico você obterá a cura.
Você gosta da sua namorada(o), esposa(o), filha(o), mãe, pai, então você demonstra seu afeto de variadas formas. Abraçando, beijando, sorrindo, presenteando, etc, pois você ACREDITA que isso vai agradá-los.
A fé é assim. Não é nada miraculoso, cheio de mistérios, ocultismo e o escambau à quatro como fazem por aí. Não é aquela discussão acadêmica e estéril que fazem sobre o assunto. É exercício, é gostar do que é certo e fazê-lo.
Você é um motorista de carro. Tem habilitação (fé), tem o carro (virtude), logo tem que dirigir o carro, senão você perde a prática, tem que voltar à escola (introspecção) para se habilitar novamente e poder dirigir o carro.
A fé é tão simples e ao mesmo tempo tão profunda, que muitos maiorais, muitos entendidos em religião fazem um circo em cima do assunto, que acaba parecendo para nós, meros humanos mortais, que nunca chegaremos à tê-la.
Deus não vê qual roupa você usa para conversar com ele, se você cobre a cabeça com manto, usa chapéu, boné, se é careca, se está de bermuda, calça ou saia, tamanco ou chinelos, sapatos ou tênis.
Na verdade creio que ele vê à todos nós apenas pela alma, espírito ou qual seja o nome que muitos dão à vida eterna que habita neste corpo carnal. Essa deve chegar-se a ele sem máscaras, limpa, crente, humilde, reverente.
Se há crença na conversa, oração, prece ou reza que se faz, isso é o que importa. Inventa-se mil fórmulas para conversar com Deus, e não é isso que ele quer.
Deus quer sua sinceridade, sua fé, seu respeito, mas acima de tudo, a mudança de sua natureza, pois quando você conseguir isso, verá que sua conversa com o Pai fluirá naturalmente, sem fórmulas, sem tradutores.
Será tão natural, será tão espontânea, como se você estivesse conversando com alguém próximo, de carne e osso, pois haverá respeito, reverência, sinceridade, fé, profundidade.
Você vai gostar de Deus. Você o terá como seu confidente. Vai estar tão conectado e próximo que nem vai perceber que está orando.
Muitos tratam o Pai Eterno como um rei severo, com a espada na mão e chicote na outra para lhe castigar.
Nada disso!!!
Deus já sabe de tudo o que você precisa, mas ele quer que você seja humilde o suficiente para pedí-lo, seja responsável, se esforce para conseguir o que deseja e precisa.
Não pedir tudo, para receber na mão, de graça.
Tem que ter fé e exercitá-la.
Das religiões eu digo que a importância delas todas é que pregam que Deus, o Criador de Todas as Coisas, o Pai Eterno existe e deixou várias mensagens para nós.
Somente isso e mais nada que isso.
O resto que falam de si próprias, com pompa ou sem pompa, é tudo invenção humana, que acaba confundindo, atrapalhando, misturando política humana com pitadas de vaidade, orgulho, misturados com ânsia de poder, falta de respeito ao próximo, assando tudo no forno brando da ignorância.

2 comentários:

  1. Olá provável futuro cunhado!! Haha!! Que bom que gostou do blog e que comentou! Isso é sempre muito importante pra mim! Acabei de ler esse seu post sobre Deus e religião e devo dizer que admiro muito essa sua visão e que também concordo com ela! Foi profundo, fez refletir. Obrigada por isso! Continue visitando o blog, quando puder! Até mais!! =)

    ResponderExcluir
  2. Muiiiito bom esse post kra...

    É bom saber que tem mais gente que não se recusa a enxergar...

    Continue assim!

    De: Maurício C.Silva(Grandailas)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário. Ele abre as portas para novas possibilidades!!!